quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Recuperação e manutenção de um gradiente altitudinal de vegetação

No âmbito das ações de recuperação de Floresta Laurissilva, o projeto  Life+ Terras do Priolo levou a cabo uma das ações de recuperação mais ambiciosas dos últimos anos. O objectivo dessa recuperação era restaurar um gradiente altitudinal de vegetação natural (350-900 m de altitude). Nas zonas de maior altitude a vegetação nativa competia com a vegetação invasora (conteira, cletra e incenso) que ia aumentando de ano para ano, deste modo, o objetivo era controlar estas espécies para que a vegetação nativa recuperasse por si própria.




Infelizmente nas zonas mais baixas, abaixo dos 500m de altitude, a vegetação era composta por incenso e conteira, restando alguns indivíduos nativos que tentavam sobreviver no meio da invasão total. Controlaram-se cerca de 12 ha de vegetação invasora e plantaram-se no inverno seguinte cerca de 110.000 plantas endémicas e nativas da Laurissilva. A densidade de plantação utilizada foi bastante elevada de forma a que as plantas invasoras não voltassem a entrar e pusessem em causa a plantação.


A manutenção da plantação é um processo moroso e que envolve muitos meios humanos. É portanto fundamental que esta manutenção se efectue 2 a 3 vezes por ano durante pelo menos os primeiros 5 anos após a plantação.

A SPEA  e as 110.000 plantas agradecem a atenção de retirar vizinhos indesejáveis!

Sem comentários:

Publicar um comentário