quinta-feira, 19 de maio de 2022

8 dias de Ciência e Educação Ambiental

Com o relaxamento das regras de proteção para a Covid-19, as atividades científicas e de educação ambiental voltaram às escolas e a SPEA nos Açores esteve presente com atividades diversas sobre conservação da biodiversidade em vários eventos de celebração do Dia do Cientista e não só.

A SPEA tem estado envolvida em diversos eventos e atividades de educação ambiental em escolas e para a comunidade em geral, na última semana. Estas ações foram desenvolvidas através do programa escolar do Centro Ambiental do Priolo, centro associado à Rede de Centros de Ciência dos Açores em parceria com vários projetos em que a SPEA participa, nomeadamente os INTERREG Oceanlit e EELABS e o projeto LIFE IP Azores Natura.

Atividades do Dia do Cientista em parceria com o LIFE IP Azores Natura e os Centros de Ciência dos Açores

Os temas tratados foram vários, desde a proteção da biodiversidade e dos ecossistemas ligados às aves e às ameaças que enfrentam bem como ao extenso trabalho de conservação desenvolvido nos Açores. Desde a conservação do Priolo e floresta Laurissilva até as ameaças para a conservação das Aves Marinhas, tais como o Lixo marinho e a Poluição luminosa foram temas tratados nestas atividades. Ainda houve tempo para falar do que é trabalhar em conservação da natureza e como a ciência é importante para conservar a nossa biodiversidade. Temas sérios desenvolvidos em atividades lúdicas e criativas como já é habitual no portfólio de atividades que a SPEA.

Saiba mais sobre o Programa Escolar da SPEA e as atividades disponíveis.

Atividade sobre conservação das Aves Marinhas e Lixo Marinho na Escola dos Ginetes

Estas ações estenderam-se desde o Nordeste, Ponta Garça, Ribeira Grande até aos Ginetes e envolveram alunos dos diversos níveis de ensino dos mais pequenos aos maiores, totalizando perto de 1000 alunos.

"A aventura do Jaime" aproxima alunos de 1º ciclo do priolo e a Floresta Laurissilva

A SPEA agradece o convite das instituições e escolas bem como dos docentes envolvidos na realização destas iniciativas como é o caso da Escola Básica e Secundária do Nordeste, , Escola Básica Integrada de Ponta Garça e também da sinergia realizada com outros centros de ciência no âmbito do dia do Cientista. A salientar também a comemoração do Projeto Eco-escolas levado a cabo na Escola Básica Integrada dos Ginetes em que se integraram várias ações SPEA Açores.

Dia do Cientista na EBI Ponta Garça com atividade sobre o lixo marinho e a Economia Circular

A SPEA associa divulgação de ciência à educação ambiental e está empenhada em levar estes temas a cada vez mais alunos para garantir um futuro promissor para as gerações futuras e envolvê-las na procura de soluções através da ciência.  

Porque como se ouviu em algumas destas sessões, o nosso planeta vive bem sem nós, mas o contrário é mais difícil!

quinta-feira, 5 de maio de 2022

SPEA acolhe Capacitação em Engenharia Natural

A nossa área de intervenção do projeto LIFE IP Azores Natura na Mata dos Bispos e os nossos Viveiros de Plantas Nativas foram o cenário, nos últimos dois dias, de uma ação de capacitação desenvolvida, no âmbito do projeto LIFE Beetles,  pelo Engº Pedro Teiga da empresa Engenho e Rio.


Esta ação de capacitação pretende aproximar os técnicos, vigilantes de natureza e operacionais da Secretaria Regional do Ambiente e das Alterações Climáticas (responsáveis pelos vários projetos LIFE que esta entidade desenvolve), assim como os técnicos da Direção Regional dos Recursos Florestais. O coordenador da SPEA, Rui Botelho, e os técnicos de conservação Filipe Figueiredo e Tarso Costa acompanharam as sessões e partilharam também alguma da experiência que a SPEA adquiriu a partir das parcerias realizadas anteriormente com a Engenho e Rio.

A ação de capacitação iniciou-se com uma visita aos nossos viveiros de Plantas Nativas em Santo António Nordestinho, onde foi possível analisar a importância da produção de plantas nativas e da sua qualidade para a correta implementação das técnicas de engenharia natural. Falou-se igualmente da importância, que as adaptações destas técnicas às características próprias da vegetação nativa, têm na hora de se assegurar o binómio da estabilização de solos e conservação da biodiversidade autóctone.


Posteriormente, o grupo deslocou-se à área de intervenção da Mata dos Bispos onde puderam observar as várias técnicas testadas desde 2012 e pôr mãos à obra na construção de algumas estruturas novas.







SPEA realiza testes de germinação nas plantas nativas

Algumas das sementes das plantas nativas dos Açores, que são essenciais para o restauro ecológico dos habitats com que trabalhamos (laurissilva, matos macaronésicos, etc.), apresentam dormência, isto é, possuem uma proteção que faz com que, quando são colocadas na terra, demorem bastante tempo a germinar e por vezes até pode impedir que cheguem a germinar.




É por este motivo que a SPEA, através do projeto LIFE IP Azores Natura, está a levar a cabo diversos testes de germinação de forma a aumentar a eficácia na produção de plantas nativas, testando diferentes técnicas para quebrar esta dormência, ou seja, para fazer com que as sementes germinem mais e mais rápido. 


Assim, com as técnicas adequadas, iremos conseguir produzir mais plantas, de forma mais rápida e com menos sementes, reduzindo a remoção de sementes da natureza e aumentando a nossa produção de plantas que depois é colocada nas áreas restauradas.

quinta-feira, 7 de abril de 2022

SPEA Açores dá as boas vindas a 6 novos estagiários

A SPEA Açores recebeu 6 novos estagiários que ao longo dos próximos meses terão a oportunidade de aprender um pouco mais sobres os trabalhos de conservação levados a cabo pela SPEA em São Miguel, mas também partilhar um pouco da sua aprendizagem.

Fique a conhece-los um pouco melhor!


Olá, 

o meu nome é Andrea e sou estudante do Grau superior de Gestão Florestal em Villaviciosa de odon, Madrid. 

O meu interesse em aprender mais sobre a natureza, especialmente sobre as aves, e o meu desejo de viajar e conhecer novos lugares, levaram-me a fazer o meu estágio na SPEA. Espero aprender muito sobre esta ilha. Cumprimentos.


Olá!

O meu nome é Daniel e sou estudante de Silvicultura e Gestão do Ambiente Natural em Villaviciosa de Odón, Madrid. Optei por fazer esto Erasmus, por duas simples razões: a primeira, e considero a mais importante, pela experiência que isto traz, e a segunda, porque queria ver como o meu FP se desenvolveu em diferentes aspetos fora de Espanha. Encantado!


Olá a todos! 

Eu sou a Nerea e sou licenciada em Ciências Ambientais pela Universidade do País Basco.  Vim para os Açores graças à bolsa de estudo "Global Training" oferecida pelo Governo Basco e estou muito feliz e ansiosa para conhecer a ilha, o seu povo, a sua fauna e flora. Gostaria de, no futuro, trabalhar na área da conservação e penso que a SPEA me dará a oportunidade perfeita para aprender com os projetos que têm em curso. Saudações!




Olá, 

sou a Alejandra e venho de Madrid. Estudei um grau superior em Silvicultura e Gestão do Ambiente Natural.

Estou em São Miguel para fazer o um estágio para o meu curso, mas gostaria de aprender mais sobre toda a flora e fauna da ilha e ajudar nos projetos de conservação da flora nativa.


Olá, 

eu sou a Violeta e venho do Curso de Florestas em El Escorial, em Madrid. 

Escolhi fazer o meu estágio nos Açores para poder aproveitar a oportunidade de viver fora de Espanha durante algum tempo, e penso que é um local ideal para aprender sobre flora e conservação, pois gostaria de me dedicar a ela. 


Olá!

O meu nome é Andoni, nasci em Legazpi, Gipuzkoa, e estudei Silvicultura e Gestão do Ambiente Natural em Zizurkil.

Decidi fazer o Erasmus nos Açores porque penso que é uma oportunidade única na vida de conhecer os diferentes projetos que a SPEA realiza na ilha de São Miguel. Estou muito interessado no trabalho que está a ser realizado com o Priolo, bem como na recuperação da massa de árvores nativas ao longo da cordilheira da Tronqueira.


Sejam muito bem vindos à SPEA e esperamos que os próximos meses sejam repletos de aprendizagem e novas experiências.




quinta-feira, 24 de março de 2022

Comemoração da Primavera nos Jardins do Palácio de Santana

No dia 26 de março, sábado, vão ser realizadas diversas atividades no jardim do Palácio de Santana com o intuito de comemorar a chegada da Primavera.

O programa de atividades é o seguinte:


09:00

Observação de aves (concentração do grupo junto à portaria do palácio).

Atividade em colaboração com a SPEA.

Grupo de 12 pessoas, requer inscrição prévia (até ao dia 24 de março, através do e-mail: presidencia.palacios@azores.gov.pt).


11:00

Momento musical – ensamble de saxofones – junto à fachada principal (sul) do palácio.

Atividade em colaboração com o CRPD.

Não requer inscrição prévia.


12:00

Visita guiada ao jardim (concentração do grupo junto à portaria do palácio).

Atividade da Coordenação dos Jardins da Presidência do Governo Regional dos Açores.

Grupo de 24 pessoas, requer inscrição prévia (até ao dia 24 de março, através do e-mail: presidencia.palacios@azores.gov.pt).


14:00

Momento musical – concerto de harpa – junto ao lago.

Atividade em colaboração com o CRPD.

Não requer inscrição prévia.


15:30

Momento de poesia junto ao lado poente do palácio.

Atividade em colaboração pelo grupo Palavras Sentidas.

Não requer inscrição prévia.


17:00

Observação de aves (concentração do grupo junto à portaria do palácio).

Atividade em colaboração com a SPEA.

Grupo de 12 pessoas, requer inscrição prévia (até ao dia 24 de março, através do e-mail: presidencia.palacios@azores.gov.pt).


Participe!

Câmara Municipal do Nordeste promove plantação com o apoio da SPEA

Com o intuito de comemorar o Dia Mundial da Árvore, a Câmara Municipal de Nordeste, em parceria com a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), promoveu, no passado dia 21 de março, uma ação de plantação de plantas endémicas e nativas dos Açores no Miradouro da Ponta do Sossego e na Ribeira dos Caldeirões, no Nordeste.






No total foram plantadas cerca de 446 plantas divididas pelos dois locais de plantação. No caso do Miradouro da Ponta do Sossego, foi criado um canteiro específico onde foram plantadas 40 Azorinas ou vidálias (Azorina vidalii). Seguidamente, foram feiras duas linhas de plantação com o intuito de criar uma sebe de plantas herbáceas, onde foram plantadas 10 Azorinas ou vidálias, 56 Ammi seubertianum, 80 queiró (Calluna vulgaris) e 56 malfuradas (Hypericum foliosum).


Já no caso da Ribeira dos Caldeirões, foram plantadas cerca de 40 espécies arbóreas, das quais 10 são pau branco (Picconia azorica), 10 faias-da-terra (Morella faia), 10 ginjas-do-mato (Prunus azorica) e 10 Louros (Laurus azorica). Nesta área foi também criado um canteiro de herbáceas com 56 Ammi seubertianum, 80 queiró e 28 malfuradas. 


Todas estas plantas são nativas ou endémicas dos Açores. 

De notar que a Azorina vidalii é uma espécie endémica, dai ter a denominação de azorina. No caso do Ammi seubertianum, esta é uma espécie rara e existe em muito poucos locais, sendo que no caso do Nordeste, apenas conhecemos a sua existência na Ribeira da Salga. 

A SPEA agradece o convite e o interesse demonstrado pela Câmara Municipal do Nordeste na divulgação das plantas da floresta nativa dos Açores.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022

Centro Ambiental do Priolo reabre como centro associado de ciência

O Centro Ambiental do Priolo (CAP), gerido pela SPEA, é em 2022 Centro Associado à Rede de Centros de Ciência dos Açores (RECCA 2030), o que associado aos projetos de conservação que esta entidade desenvolve nos Açores, permite oferecer um Programa Escolar alargado às várias temáticas de conservação da biodiversidade do arquipélago, na sua componente terrestre e marinha.

A RECCA 2030 é uma rede de centros de ciência que promove a literacia cientifica em diferentes temáticas em várias ilhas dos Açores e coordenada pela Direção Regional de Ciência e Transição Digital. Este ano, o Centro Ambiental do Priolo se associa a estes centros propondo um programa de divulgação cientifica na área da biologia da conservação e da ornitologia. Esta associação permite recuperar e alargar iniciativas ligadas à divulgação das Aves dos Açores, dos habitats naturais e da importância da sua conservação para as comunidades humanas.


À semelhança de anos anteriores, a SPEA reafirma a sua aposta na educação ambiental da comunidade escolar dos Açores enquanto ferramenta para promover uma geração cada vez mais atenta e ativa na conservação da biodiversidade dos Açores. Com este objetivo, o programa escolar SPEA 2021/2022 está ainda mais completo, podendo os docentes escolher atividades sobre Aves Marinhas e os Oceanos, Aves residentes dos Açores, o Priolo e a Floresta Laurissilva e ameaças que enfrentam. 

Foto: SPEA

As visitas escolares ao Centro Ambiental do Priolo e aos Viveiros de produção de plantas nativas serão também possíveis a partir do mês de março, podendo realizar o pedido de atividade através do site www.centropriolo.com. As atividades são disponibilizadas para vários níveis de ensino e algumas poderão ser realizadas também por videoconferência permitindo às escolas mais flexibilidade e permitindo atingir escolas fora da ilha de São Miguel, onde o Centro Ambiental do Priolo se encontra. 

Mas também pretende oferecer um programa de atividades para todos os públicos de observação de aves, flora nativa e voluntariado ambiental e continuar a promover censos e ações de cidadania cientifica como o Censo de Milhafres, Arenaria, Censo de Aves Comuns, etc.

Esta associação permitirá ainda continuar a receber visitantes locais e estrangeiros no Centro Ambiental do Priolo, localizado na Reserva Florestal de Recreio da Cancela do Cinzeiro em Nordeste. 

O centro estará aberto ao público a partir de 15 de março e até 15 de novembro, de terça a sábado das 10h às 17h.


Fotos Centro Ambiental do Priolo: SIARAM