quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Novo site para um centro mais funcional

O Centro Ambiental do Priolo inicia o ano de 2020 com novidades. Publicou-se hoje um novo website com um design mais simples, mas acima de tudo funcional, que poderá ser consultado em www.centropriolo.com.



Esta nova ferramenta possuí novas valências face ao anterior modelo e será mais um passo na direção de tornar este centro mais apelativo para os que procuram saber mais sobre a sua atividade, mas também prático para os que pretendem participar nas atividades, designadas de Tours, que o centro tem disponibilizado desde 2019 aos seus parceiros e aos que o visitam. 

Em 2020, a SPEA irá apostar em continuar a inovação e o bom serviço deste centro tendo em vista garantir a sustentabilidade do mesmo, que desde o encerramento do Projeto Life+ Terras do Priolo em 2019, se encontra sem financiamento garantido.

 A SPEA convida à visita do novo site e agradece qualquer sugestão.

Bom Ano para todos!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Formação sobre o serviços dos ecossistemas e TESSA em São Tomé e Príncipe

No final do mês de novembro, Azucena de la Cruz, co-coordenadora da SPEA-Açores, esteve em São Tomé e Príncipe a colaborar com o projeto ECOFAC IV, do qual a SPEA, é parceira com uma formação para técnicos de entidades governamentais e ONGs (OIKOS, BirdLife África e Fundação Príncipe) sobre avaliação de serviços dos ecossistemas e TESSA - Toolkit for Ecosystem Service Site-Based Assessment.







A formação envolveu trabalho em sala de aula e visitas de estudo para identificar impactos e ameaças ao Parque Natural e realização de exercícios com teste de metodologias simples para conhecer o uso que as comunidades dão aos seus recursos naturais.


A avaliação dos serviços dos ecossistemas do Parque Natural d´Obô pretende contribuir para a gestão sustentável tanto desta área protegida como da sua área tampão. Nesta área tampão existem várias comunidades que dependem para a sua subsistência da exploração dos recursos naturais do seu entorno e alguns destes usos são realizados de maneira não sustentável com impactos significativos na biodiversidade e na conservação do Parque. Identificando os serviços dos ecossistemas e os usos que as comunidades realizam poderá ser mais fácil promover um uso sustentável do território compatível ou até que favoreça a conservação da área protegida.



Esta colaboração será continuada em 2020 com a realização de uma Avaliação Rápida dos Serviços dos Ecossistemas do Parque Natural d'Obô em São Tomé e no Principe junto da associação OIKOS.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Sentinelas do Oceano: aves marinhas presentes no MarSP


No passado dia 6 de dezembro a SPEA esteve presente na última conferência do projecto MarSP como parte interessada no Ordenamento do Espaço Marítimo da Macaronésia, e mais concretamente nos Açores, no qual tivemos o prazer de colaborar como partes interessadas ao longo do projecto.


Apresentação durante a final conferência do projecto MarSP. Fotos: Luz Paramio e Carlos Silva

Nesta última conferência foi-nos ainda possível apresentar os trabalhos desenvolvidos nos Açores nos projectos LuMinAves e MISTIC SEAS II com o intuito de atualizar a informação sobre as aves marinhas e implementar e uniformizar metodologias de modo, a que a informação recolhida contribua não só para conhecer o estado das populações das mesmas, como avaliar a sua saúde e avaliar desta forma o Bom Estado Ambiental da Macaronésia, através destas espécies que são Sentinelas do Oceano, de forma a reportar às Directivas (DOEM e DQEM) e contribuir para a conservação das aves marinhas e do Oceano a que chamam casa.

Para mais informação:

https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=zAAzc3aPabY&feature=emb_logo


quinta-feira, 28 de novembro de 2019

"Os cagarros vão à Biblioteca Pública de Miejska (Polónia)"


No dia 26 de Novembro os cagarros Calonectris borealis da ilha do Corvo "foram" à Biblioteca Pública de Miejska (Polónia) pelas mãos e vozes Katarzyny Mikicinskiej e Stanislawa Czyza. Estes dois entusiastas, naturalistas e observadores de aves vem ao Corvo em busca de raridades americanas desde 2017. E tem sido, em particular a Katarzyny voluntários acérrimos nas ações de conservação da SPEA na ilha, desde a transposição de cagarros juvenis para a Reserva Biológica do Corvo, monitorização das colónias de cagarro na ilha e inclusive sendo parte integrante nas brigadas de salvamento de juvenis de cagarro durante o SOS Cagarro, colaborando connosco e com o Parque Natural de ilha. 







Exposição sobre os cagarros na ilha do Corvo na Polónia, da autoria de Katarzyny Mikicińska e Stanisław Czyż

Por esta razão não poderíamos deixar de os mencionar e agradecer todo o seu voluntariado mas também por divulgarem além fronteiras o trabalho de conservação que vimos desenvolvendo na ilha do Corvo em prol das aves marinhas. Muito obrigada Katarzyny Mikicińska e Stanisław Czyż e para o ano cá vos esperamos!

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Novembro é o mês da Floresta

É no dia 23 de novembro que se comemora o Dia da Floresta Autóctone. A SPEA não poderia deixar de comemorar esta data com a realização das habituais ações de plantação que não são meras ações de sensibilização mas contribuem ativamente para a manutenção de áreas consideradas importantes para o priolo. Em 2019, ao longo de 2 fins-de-semana realizamos 2 ações de plantação com este objetivo.

No dia 16 de novembro, estivemos a desenvolver uma ação de plantação em colaboração com o Clube Lions tendo sido envolvidas duas delegações , Nordeste e Ponta Delgada. A notória boa disposição e a vontade de contribuir foram o motor desta ação e numa manhã na ZPE Pico da Vara/Ribeira do Guilherme foram plantadas diversas espécies de plantas dos Açores, como a ginja-do-mato, cedro-do-mato, urze, azevinho, louro entre outras. 


A ação repetiu-se no dia 23, desta vez com a Melo Travel em que se ouviram priolos e também se pós a mão na terra para ajudar esta que é hoje o simbolo das Terras do Priolo ( Nordeste e Povoação). 


Após ambas as visitas , foi realizado uma pequena visita pela área, onde foi possível observar o resultado de algumas das ações realizadas com recurso à engenharia natural realizadas no âmbito do projeto LIFE Terras do Priolo.



No total, participaram perto de 25 voluntários e foram colocadas na floresta mais de 700 plantas que irão contribuir para a resiliência da área e do priolo. 

A SPEA agradece a participação de todos, todo o apoio e realça que sem iniciativas destas e sem os seus parceiros os bons resultados obtidos não seriam possíveis.

@Fotos Ana Mendonça

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Apagão geral na ilha do Corvo para salvar aves marinhas


No passado dia 1 de novembro a SPEA em parceria com a Câmara Municipal do Corvo e o Parque Natural de ilha procedeu ao apagão geral da iluminação pública da Vila do Corvo, de modo, a sensibilizar a população corvina sobre o impacto da poluição luminosa sobre as aves marinhas, e neste caso, o cagarro Calonectris borealis em particular. Esta ação enquadra-se nas ações já implementadas no âmbito do projecto LuMinAves, com apagões gerais desde 2017 e 2018 das 03h00-06h00, tendo o período sido alargado em 2019, das 01h00-05h00 e culminando com o apagão geral das 21h00-05h00 no dia 1. Além do apagão, foram realizadas algumas atividades com a colaboração de voluntários, na qual estiveram presentes cerca de 100 pessoas, além da habitual brigada pela Vila do Corvo para salvar cagarros encandeados, como medida de controlo, onde não foram encontrados juvenis de cagarro encandeados. A noite terminou com um concerto no Bar dos Bombeiros do Corvo que se associou à iniciativa.

Cagarro juvenil

Atividade Glow realizada por voluntários

O Lusco-Fusco Fest como foi denominado é apenas mais um passo para o que deveríamos almejar, ou seja, minimizar o impacto da poluição luminosa nas aves marinhas através da implementação de iluminação pública adequada, com luzes mais amarelas LEDs PC Âmbar ou pelo menos LEDs brancas neutras, 3000k ou inferiores, com luminárias direcionadas para baixo, iluminando apenas o chão e sem dispersão para cima ou lados, com filtros, com redução de intensidade nos períodos críticos e porque não em algumas áreas críticas realizar apagões por alguns períodos seguindo o exemplo dado pela ilha do Corvo, mantendo assim, as metas da eficiência energética e minimizando esta ameaça nas aves marinhas.

O Corvo é assim um santuário para as aves marinhas, não só pelas espécies que aqui nidificam mas por dar o exemplo, por estar disposto a fazer um pouco mais, por perceber que há causas que nos transcendem e que ao proteger a sua biodiversidade está também a proteger e a valorizar o seu valor natural.

Despeço-me com um agradecimento a todos os que contribuíram e deram o exemplo, mas em particular à Câmara Municipal do Corvo, por ter tomado a iniciativa.

Veja a noticia da RTP Açores sobre o apagão no Corvo AQUI


SPEA BirdLife Portugal completa 26 anos

A SPEA Bidlife Portugal completa 26 anos de existência no próximo dia 25 de novembro.  Nestes dias, um pouco de história é relembrada pensando no futuro, sentindo orgulho no caminho percorrido até hoje.



Esta é uma altura em que relembramos todo o trabalho realizado em prol da conservação das aves e dos seus habitats em todo o país mas em que aproveitamos para agradecer a todos os que colaboraram conosco, as diversas direções SPEA, técnicos SPEA, os sócios SPEA, voluntários SPEA, parceiros SPEA e todas as entidades que ao longo de todos estes anos contribuíram para o sucesso desta organização. 

Nos Açores ,  o trabalho da SPEA BirdLife Portugal está intimamente ligado à conservação do priolo, espécie de ave endémica dos Açores. Um esforço que decorre há mais de uma década e que resultou no aumento da sua população e melhoria do seu estatuto de conservação , descrito hoje como Vulnerável e com uma população estimada em cerca de 600 casais. Mas não só!

Olhando para o mar e para as espécies de aves marinhas foram vários e são ainda alguns os projetos desenvolvidos em prol da conservação das aves marinhas dos Açores , em particular o cagarro mas não esquecendo o estapagado , frulho e o paínho-de-monteiro. Sendo este último, uma espécie endémica dos Açores que a par do priolo merece ainda a nossa atenção e esforço. 

A SPEA BirdLife Portugal irá desenvolver diversas iniciativas comemorativas desta data em vários pontos no país e convida a todos a participar e ainda a juntar-se ao Big Day SPEA, a decorrer no dia 30 de novembro.


Ainda pode fazer parte desta grande família , faça-se sócio da SPEA e contribua !