quinta-feira, 17 de novembro de 2022

SPEA Açores recebe visita de equipa de São Tomé e Principe

De 7 a 11 de novembro tivemos a visita de uma equipa de São Tomé e Príncipe. Abigail Varela da BirdLife, Yodiney Santos e Yanik Alberto da Fundação Príncipe. O objetivo desta visita foi poder partilhar experiências e mostrar o trabalho que tem desenvolvido e está a desenvolver a SPEA nos Açores. Desta forma, eles acompanharam o trabalho de campo e dos viveiros para conhecer as metodologias e as ações que estão a ser realizadas nos diferentes projetos de conservação e educação ambiental.

A visita começou na segunda feira, onde tiveram a possibilidade de visitar Vila Franca de Campo à noite e colaborar no último dia das brigadas SOS Cagarro na marinha e porto. Mesmo sendo o último dia, resgatamos 2 cagarros, um deles sujo de óleo, que teve que ser lavado.



Na terça feira acompanharam o Tarso Costa nas monitorizações de vegetação na Mata dos Bispos e ficaram a conhecer o trabalho de restauro ecológico da Floresta Laurissilva e as técnicas de Engenharia Natural aplicadas para a estabilização de solos e gestão dos fluxos hídricos.

Já na quarta feira tiveram a oportunidade de realizar o trilho pedestre de Santo António até o Pico da Vara, que corresponde à ação C14.2. Deram apoio na monitorização do estado do trilho e localização de futuros passadiços para requalificar o trilho do impacto do turismo na ZPE Pico da Vara / Ribeira do Guilherme. Depois tiveram a oportunidade de conhecer o Planalto dos Graminhais e visitar os nossos viveiros de produção de plantas nativas em Santo António. 





Na quinta feira o pessoal de São Tomé e Príncipe apresentou as iniciativas e projetos que estão a desenvolver junto a Fundação Príncipe e a BirdLife , e depois estivemos a conversar sobre as diferenças e semelhanças dos contextos e como poderiam ser implementadas algumas melhoras nos diferentes local. 



No último dia, o pessoal aproveitou de passear e conhecer um bocado da ilha, visitando as Furnas e o lado sul da ilha.




Projeto Arenaria 2022-2023

 Já podemos observar nas nossas praias, portos e outras áreas costeiras as primeiras limícolas e outras aves estivais que vêm aos Açores para passar o inverno. 

Estas aves são indicadores ambientais e, através da sua monitorização, podemos identificar a qualidade do habitat e acompanhar as flutuações das suas populações. O Projeto Arenaria pretende acompanhar estas aves através da obtenção de uma estimativa da distribuição e abundância, de modo a identificar riscos que afeitem as suas populações, mas também para estudar os patrões ou os umbrais de impactos ambientais que possam afeitar à biodiversidade toda (incluindo nos próprios). 

Foto: Alba Villarroya

Vimos pedir a vossa colaboração para este projeto. Escolham uma zona costeira perto da sua casa, e contem as aves que aí se encontram. A metodologia é simples: uma única visita em cada um dos locais entre o 1 de dezembro e o 31 de janeiro (dentro de um período de seis horas contado a partir das três horas antes até três horas depois da baixa-mar).

Para mais informações e inscrições no projeto, não hesitem em contatar Alba Villarroya, responsável pelo projeto na Região, através do e-mail: alba.villarroya@spea.pt

Contamos consigo!

Brigadas na Graciosa no âmbito Natura@night

Os técnicos da SPEA Açores estiveram na Graciosa, de 24 de outubro a 5 de novembro para realizar sessões de sensibilização sobre o impacto da poluição luminosa e realizar brigadas de resgate sistemáticas de juvenis de cagarro (Calonectris borealis), na localidade do Carapacho. 

Foto: Yasmin Redolosis

Todas as ações foram feitas em parceria com a Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa (CMSCG) e com o Parque Natural de Ilha da Graciosa (SAACG), no âmbito do projeto LIFE Natura@night que visa reduzir a poluição luminosa que afeta as áreas protegidas dos arquipélagos da Madeira, Açores e Canárias. 

As primeiras brigadas de resgate sistemáticas tiveram lugar nos mesmos dias e nas mesmas horas da noite em todos os municípios dos três arquipélagos envolvidos no projeto. Durante as 13 noites em que a SPEA este na Graciosa, contou com a ajuda importante de vários voluntários, sem os quais seria difícil ajudar estas crias nos seus primeiros voos.

Alguns dos resultados obtidos:
- 4 km percorridos diariamente, num total de 52 km.
- 27 Cagarros salvos.
- 11 voluntários locais envolvidos.

                                                              Foto: Yasmin Redolosis

Entre as sessões de sensibilização, destacamos 4 palestras que fizemos para explicar às pessoas porque os cagarros caem nesta altura do ano e como podemos ajudá-los. Foram realizadas 2 palestras abertas ao público e outras 2 na EBS de Santa Cruz.

Foto: Luzia Cordeiro

Foto: Madalena Picanço

Além disso, deixamos com o CMSCG a coleção entomológica de alguns dos insetos mais representativos que foram recolhidos nas armadilhas luminosas no verão passado e nas zonas de RN2000 da Graciosa, como parte da ação A9 do projeto.

                                         
                                                       Foto: Yasmin Redolosis

Para além das referidas brigadas de salvamento e outras ações de sensibilização, conseguimos realizar inquéritos presenciais sobre a poluição luminosa entre a população local.

Se ainda não tiver feito o inquérito, convidamo-lo a preencher o inquérito em AQUI

                                        
                                                     Foto: Yasmin Redolosis

Queremos agradecer todos os voluntários das brigadas e as todos os que se voluntariaram para realizar o inquérito.

                                  
                                                                Foto: Luzia Cordeiro

                                  
Foto: Yasmin Redolosis

SPEA Açores instala sistema de monitorização remoto no Planalto dos Graminhais

No âmbito do projeto LIFE IP Azores Natura, a SPEA instalou durante esta semana um sistema de monitorização da dinâmica hídrica das turfeiras no Planalto dos Graminhais, ilha de São Miguel. O objetivo é acompanhar e avaliar o restauro ecológico de uma área de 4 hectares, que inclui duas linhas de água e uma microbacia hídrica localizada em uma zona dominada por turfeira.

O sistema de monitorização recentemente instalado consiste em três estações posicionadas na turfeira com sensores que recolhem dados de pluviosidade, temperatura e nível de água. As estações funcionam de forma remota, alimentadas por energia solar, e que recolhe dados a cada hora. Os dados são enviados para um servidor e é possível aceder a eles por meio de uma plataforma na internet. O envio de dados para um servidor dispensa a visita regular das estações pelos técnicos da SPEA, o que poderia provocar um impacto negativo na turfeira devido ao pisoteio. A instalação das estações também foi realizada utilizando principalmente materiais naturais de forma a reduzir o impacto no ambiente.

A partir dos dados obtidos será possível perceber como funciona a dinâmica hídrica da turfeira, desde a entrada de água por meio da chuva até a sua infiltração e escoamento na seção superior da bacia hídrica. Assim, será possível avaliar os efeitos da recuperação das linhas de água em termos de serviços dos ecossistemas relacionados à regulação e abastecimento de água.

A próxima etapa será a instalação de um sensor no leito de uma das linhas de água que recolherá dados de fluxo de água. Este sistema já se encontra a recolher dados referentes à situação anterior as intervenções de restauro ecológico previstas no LIFE IP Azores Natura para esta área, e continuará a recolher dados durante e após a intervenção. Isto permitirá ter informação sobre a evolução hidrológica dos habitats e da linha de água ao longo de todo o processo de restauro e após a conclusão do mesmo.

Resultados da BirdRace Açores 2022 já são conhecidos

A BirdRace Açores é um concurso de equipas, iniciativa da SPEA em parceira com o Website Aves dos Açores, que decorre anualmente  e cujo principal objectivo é promover a atividade da observação de aves nos Açores. Em 2022, esta iniciativa apoiou o projeto Interreg MAC Oceanlit, solicitando às equipas participantes que recolhessem lixo nas áreas que visitaram durante a sua participação. 

Na edição deste ano, participaram 7 equipas totalizando 12 observadores que incluíam famílias, amigos que já participam habitualmente na BirdRace Açores e observadores que se estrearam em 2021. No total, foram observadas 52 espécies de aves diferentes nas 5 ilhas com equipas participantes (Terceira, Pico, Faial, Santa Maria e São Miguel). 

De entre as espécies observadas, partilhamos a foto de um ganso-de-bico-curto (Anser brachyrhynchus) visto apenas por uma equipa em São Miguel.

Ganso-de-Bico-curto, observado pela equipa Moelas. Foto Rui Teixeira

Em 2022, a equipa que observou mais espécies de aves durante o fim-de-semana de 2 e 3 de Outubro foi a equipa JORI de São Miguel tendo totalizado a sua lista com 36 espécies observadas. 



A SPEA dá os parabéns à equipa vencedora e agradece a participação de todas as equipas. 


Equipa Jorí

Equipa Moelas

Obrigado por participarem e boas observações.

quinta-feira, 3 de novembro de 2022

Alunos de Arganil realizam voluntariado com a SPEA

De 27 de outubro a 2 de novembro um grupo de 5 alunos e uma professora do curso de Técnicos de Turismo Ambiental e Rural do Agrupamento de Escolas de Arganil, visitaram os Açores para colaborar em várias atividades de conservação da natureza organizadas pela SPEA.

Os alunos chegaram no dia 27 à noite e ficaram confortavelmente instalados na casa dos escuteiros da Lomba da Fazenda e ainda contaram com o apoio da EBS de Nordeste nas refeições

Os alunos tiveram oportunidade de visitar os Viveiros de Plantas Nativas dos Açores, em Sto. António Nordestinho, e colaborar na produção das plantas que depois irão servir para recuperar a floresta Laurissilva dos Açores




Visitaram o Centro Ambiental do Priolo onde ficaram a conhecer esta ave única dos Açores e o seu habitat.



Os alunos colaboraram também, todas as noites, com a campanha SOS Cagarro no resgate de juvenis de cagarro desorientados em Vila Franca do Campo e na sua libertação de manhã. Houve ainda tempo para passearem pela ilha de São Miguel.




Para os alunos, foi uma experiência única que os deixou com vontade de repetir. 

"Em primeiro lugar agradecer e destacar a equipa excelente que nos recebeu e nos proporcionou uma experiência incrível nas mais diversas atividades, nomeadamente, SOS Cagarro, Viveiro, a visita ao Centro Ambiental do Priolo e Floresta Laurissilva.

Com o SOS Cagarro, ficámos a conhecer os cagarros, nenhum de nós conhecia: a sua rota, alimentação, fragilidades. Tivemos a experiência de os resgatar e de acompanhar todo o processo até à libertação, o que, fortemente, nos sensibilizou para a importância da proteção da nossa biodiversidade.

Nas visitas e atividades ao Viveiro, aprendemos muito sobre as plantas dos Açores, endémicas ou nativas. Tivemos a oportunidade de estar em contacto direto com essas plantas, mexer nelas: nos vasos de cada, tirar as plantas que não permitiam que elas se desenvolvessem. Estivemos a mondar as plantas, para usar um termo mais técnico. Depois transportámos as plantas de uma estufa para a outra, para as mais desenvolvidas levarem com condições extremas, como a chuva, o vento e, assim, ficarem mais habituadas às suas condições reais.
(este último texto a laranja, como fala mais nas funções, verifica se vos faz sentido ou não colocar)

Em relação à visita ao Centro Ambiental do Priolo foi também muito enriquecedora, aprendemos não só sobre o priolo, mas também sobre outras aves, plantas, a história dos Açores, algumas curiosidades que não fazíamos ideia - foi mesmo muito enriquecedor para todos. Porque tudo isso é também a nossa história, a história de Portugal. E o conhecimento mais aprofundado da floresta, especificamente, a Floresta Laurissilva - tema igualmente importante para a nossa formação profissional.

Uma vez mais, muito obrigada pela oportunidade!"


Da parte da SPEA também foi um prazer contar com a sua ajuda nas várias tarefas e esperamos voltar a repetir este tipo de colaborações.

Programa escolar SPEA Açores com grande solicitação

 A SPEA Açores através do Centro Ambiental do Priolo disponibiliza às escolas uma multiplicidade de atividades de educação ambiental para aumentar o conhecimento dos seus alunos sobre da fauna e flora das nossas ilhas, mas também contribuir para que estes sejam jovens ativos na conservação dos valores naturais dos Açores. 

As atividades disponibilizadas incluem sessões, presenciais e online, para todos os níveis de ensino e abrangem temáticas sobre a biodiversidade dos Açores, conservação e ameaças. Este ano, em especial, sugerem-se atividades que têm como objetivo apelar à melhor gestão de recursos naturais e introduzir o conceito de economia circular nas escolas. Para além das atividades educativas realizadas dentro da sala de aula, os docentes podem optar por algumas saídas de campo, ações de voluntariado e exposições.

Limpezas de Praia realizadas na Ribeira Grande


Exposição "O Priolo e a Fuga à Extinção" na EBS das Laranjeiras.

A solicitação das escolas tem superado o esperado e desde o início do ano lectivo de 2022/2023 já foram realizadas 20 atividades que envolveram mais de 500 alunos do arquipélago e não só. 

Libertação de Cagarros EBS da Povoação

Visita aos Viveiros de Produção de Plantas

A SPEA agradece o interesse a todos e relembra que a marcação de atividades pode ser realizada através de https://www.centropriolo.com/escolas