terça-feira, 29 de setembro de 2020

SPEA promoveu atividades de limpeza costeira

O lixo marinho é uma das maiores ameaças sobre as aves marinhas, tendo sido identificada como uma das prioritárias para a região da Macaronésia. Sendo por esta razão uma das áreas de ação que temos vindo a desenvolver desde 2014 na ilha do Corvo, e agora especificamente no âmbito do projeto OceanLit, um projeto complementar ao projeto LIFE IP AZORES NATURA, que tem como principais objetivos aumentar o conhecimento, melhorar as ações já implementadas, em particular a gestão de resíduos e no nosso caso em particular a sensibilização da população em geral, usuários e população escolar, tendo como principal missão a minimização desta ameaça. 

Desta forma no dia 26 de setembro realizamos a 1ª ação de limpeza costeira na ilha do Corvo, das 4 previstas para cada estação do ano, de modo, a avaliarmos a presença de lixo ao longo do ano nas áreas costeiras, sensibilizando para o problema e disponibilizando esta informação para as entidades competentes, nomeadamente a Direção Regional dos Assuntos do Mar, de forma a responder às diretrizes do descritor 10 da Diretiva Quadro Estratégia Marinha.


Voluntários presentes na limpeza. Foto: Parque Natural do Corvo


No total foram 11 os voluntários que se juntaram a nós, ao Parque Natural de ilha e à Câmara Municipal do Corvo, onde ao longo de 1 hora foram recolhidos 30kg de plástico em 150 metros. De ressalvar que apenas cerca de 25% do lixo foi recolhido, uma vez que a maior parte se encontrava demasiado fragmentada para o efeito. De uma forma geral, os itens encontrados eram constituídos na maioria por escovas de dentes, pentes, isqueiros, tubos refletores, beatas, garrafas e tampas, fragmentos de plástico, chinelos, cotonetes e cordas.


Voluntários na limpeza
Voluntários em limpeza. Foto: Parque Natural do Corvo


Na ilha de São Miguel a SPEA também juntou-se à iniciativa com a colaboração do Agrupamento de Escuteiros da Pedreira e com o apoio da Câmara Municipal do Nordeste fomos limpar a orla costeira entre Fajã de Araújo e a Praia de Lombo Gordo. 


Mesmo numa das praias mais afastada de núcleos urbanos, encontramos bastante lixo marinho: muitos pedaços grandes de plástico, esferovites, garrafas de plástico, cabos de embarcações, beatas, máscaras e inclusive microplásticos na areia da praia. 






Após a recolha e classificação do lixo conversamos com os escuteiros sobre o que pode ser feito por cada um de nós para evitar que todo este lixo vá parar para o mar. Para terminar, fica um agradecimento especial a todos os voluntários e parceiros. Lembrem-se há que repensar, recusar, reduzir, reutilizar e só por fim reciclar, é essencial que mudemos atitudes se queremos minimizar o nosso impacto no ecossistema.







Sem comentários:

Publicar um comentário