terça-feira, 25 de outubro de 2016

SPEA - Açores efetua trabalhos de monitorização de populações de cagarro


A Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves tem efetuado o “acompanhamento familiar” de colónias de cagarro (Calonectris borealis), desde a implementação do projeto LIFE “Ilhas Santuário para as Aves Marinhas”, em 2009.

O Cagarro é uma ave marinha pelágica que nidifica em fendas ou cavidades no solo e os Açores são o local de eleição para a nidificação de 75% da população mundial. A fêmea coloca um único ovo no final de maio, caso comum a todos os Procellariiformes, sem qualquer tipo de substituição do ovo em caso de fracasso. A eclosão ocorre no final de julho e os adultos deixam a cria sozinha durante o dia para procurar alimento regressando ao ninho à noite. Cerca de três meses depois, entre final de outubro e início de novembro, os juvenis abandonam os ninhos e iniciam o seu primeiro voo bem como preparam a sua primeira travessia oceânica rumo ao atlântico sul. Estas crias regressam aos açores quando atingem a maturidade sexual ao fim de 7 anos. Os ninhos são visitados regularmente com a ajuda de endoscópios para detetar a presença do casal, ovo e acompanhar o nascimento/crescimento da cria, desde o final de fevereiro, aquando da chegada desta ave emblemática aos Açores.

Nos últimos anos a SPEA tem efetuado o acompanhamento de várias colónias na ilha do Corvo e no ilhéu de Vila Franca do Campo (ilha de São Miguel) onde tem avaliado o sucesso reprodutor de cada colónia. Com cerca de 550km de distância entre cada local, o ciclo de vida do cagarro é idêntico à exceção das condições de nidificação (tipo de ninho e presença de predadores – gatos e ratos). O sucesso reprodutor de cada colónia é obtido pela relação entre o número de crias que sobrevivem e o número de posturas. No Corvo, o acompanhamento semanal de 200 ninhos determinou, em 2012, que os gatos e roedores são responsáveis pelo baixo sucesso reprodutor de cagarro (cerca de 39%).

No ilhéu de Vila Franca do Campo do Campo, onde não existem estes predadores, o sucesso reprodutor de cagarro tem sido muito mais elevado que na ilha do Corvo. No ano de 2015 e 2016 obtiveram-se valores de sucesso reprodutor respetivos de 72% e 63%. As crias dos ninhos monitorizadas são normalmente anilhadas e as biometrias são registadas (peso, dimensão da asa, bico, cabeça e tarso). Este ano, as crias tinham um peso médio abaixo do normal o que poderá explicar a diminuição de 9% no sucesso reprodutor comparativamente com o ano anterior. Várias crias não resistiram por deficiente desenvolvimento da massa corporal devido, provavelmente, a uma generalizada falta de alimento. No Corvo, aguardam-se os resultados do sucesso reprodutor mas os resultados preliminares não são satisfatórios devido à elevada predação registada. Em simultâneo, procedeu-se à avaliação de 27 ninhos de cagarro na IBA PT0079 Faial da Terra/Ponta do Arnel (IBA – sítio importante para as aves), na ilha de São Miguel, onde o sucesso reprodutor rondou os 38%. Aqui também se registaram elevadas taxas de predação.


A predação em crias de cagarro continua a ser uma ameaça presente em ilhas habitadas. Para além dessas ameaças, os juvenis enfrentam outros perigos, nomeadamente a poluição luminosa. Ao abandonar o ninho para realizar a migração transatlântica pela noite e com a pouca experiência de voo são atraídos pelas luzes artificiais (candeeiros públicos, iluminação pública, luzes de carro, etc.) acabando por colidir com estes. Para mitigar esta ameaça o Governo dos Açores promove desde 1995 a Campanha SOS Cagarro organizada em duas vertentes, Educação Ambiental e Conservação da Natureza entre 15 de outubro e 15 de novembro, envolvendo inúmeros parceiros e mobilizando milhares de pessoas.

O cagarro ADAM é o primeiro cagarro da SPEA a ser libertado no Nordeste. Este é um jovem macho de 720 gramas e que foi resgatado na noite de 20 de outubro. A ave foi anilhada, pesada e foram medidos os dados biométricos. O Adam foi libertado posteriormente junto do mar.A SPEA tem, nos últimos anos, colaborado ativamente no resgate, salvamento e libertação de juvenis de cagarro no Concelho do Nordeste e da Povoação e na ilha do Corvo, onde o primeiro juvenil foi salvo no dia 19 de outubro e pesava 890g e media 357mm de asa.

Colabore e participa nesta campanha,
Este ano salve um cagarro e faça um amigo.

Sem comentários:

Publicar um comentário