quinta-feira, 8 de abril de 2021

SPEA planta as primeiras 28.000 espécies nativas no âmbito do LIFE IP Azores Natura

Durante esta primeira época de plantação na nova área de intervenção da SPEA na Mata dos Bispos, foram colocadas no terreno 28.000 plantas nativas dos Açores. A plantação foi realizada com variedade de espécies arbóreas, estruturantes da floresta Laurissilva Húmida, nomeadamente, o louro Laurus azorica, a faia Morella faya, o pau-branco Picconia azorica, a ginja-do-mato Prunus azorica, o sanguinho Frangula azorica, o azevinho Ilex azorica, o tamujo Myrsine retusa, o folhado Viburnum treleasei, o cedro-do-mato Juniperus brevifolia. Foram também colocadas especies arbustivas como a urze Erica azorica e o queiró Calluna vulgaris e herbáceas como o bracel-do-mato Festuca francoi, o patalugo Leontondon rigens e o sargasso Luzula purpureosplendens.


Plantas nativas dos Açores na estufa de sombra do viveiro da SPEA preparadas para a plantação


Esta plantação enquadra-se no processo de restauro ecológico em torno da junção das linhas de água que conformam as nascentes da Ribeira Lomba Grande. Esta zona encontrava-se com um elevado nível de invasão biológica, sendo que praticamente 100% das espécies presentes eram Espécies Exóticas Invasoras.

A intervenção nesta área incluiu numa primeira fase o controlo de espécies exóticas invasoras (principalmente Hedychium gardnerianum, Pittosporum undulatum, Acacia melanoxylon e Clethra arborea) em toda a área, seguindo-se a construção, nas margens e leitos das linhas de água, de estruturas de engenharia biofísica para controlo da erosão e facilitar o processo de recuperação hídrica dos cursos de água.

Margens e leito da linha de água estabilizados com construções biofísicas e com a plantação concluída


Estas estruturas, baseadas no contexto do restauro de rios e ribeiras em Portugal continental, já foram testadas no projeto LIFE+ Terras do Priolo e adaptadas para as características dos solos vulcânicos dos Açores. Este restauro ecológico integral irá permitir não só a recuperação de uma área de alimentação para o Priolo, através da plantação de espécies que lhe servem de alimento, mas também a recuperação dos ciclos hidrológicos naturais da ribeira, incrementando a infiltração e reduzindo a erosão na mesma.

Linha de água restaurada durante o projeto LIFE+ Terras do Priolo


A SPEA iniciou o trabalho no âmbito do projeto LIFE IP Azores Natura em julho de 2019 sendo esta a primeira época de plantação realizada no âmbito deste projeto. Até 2027, data de finalização do projeto, esperamos ter recuperado mais de 100 hectares e plantado um total de 450.000 plantas nativas dos Açores.


quinta-feira, 25 de março de 2021

As aves marinhas dos Açores voltaram à escola

Nos dias 12 e 18 de Março, as aves marinhas dos Açores voltaram à escola. 

Presencialmente no dia 12, levámos a nossa palestra sobre as aves marinhas dos Açores à Escola Secundária da Lagoa, onde apresentámos as 6 aves marinhas nidificantes a 3 turmas de 7º ano, com um total de 61 alunos. Estes ouviram pela primeira vez as vocalizações das nossas aves marinhas, como os pequenos Paínhos, o "som de cão" da Alma Negra e os "primos puffinus" Frulho e Estapagado. 


No dia 18,  realizámos uma sessão online muito especial com a Escola Secundária Gago Coutinho, em Alverca do Ribatejo, com 26 alunos do 11º ano. Após a palestra, tivemos a participação dos nossos técnicos de conservação marinha, Tânia Pipa e Carlos Silva, os quais partilharam com os alunos as suas vivências e experiências a trabalhar nos ilhéus com as aves marinhas. Esta foi a primeira vez que se realizou uma palestra sobre aves dos Açores com uma turma do continente. 

Nestas palestras, os alunos ficam a conhecer a biologia destas espécies, a sua importância e como cada um de nós pode ajudar estas aves no que diz respeito às ameaças e perigos que enfrentam. 


Estas palestras realizam-se no âmbito dos Projetos Life4Best Seabird Macaronesian Sound e os Interregs Oceanlit e EELabs.

Agradecemos o convite e o interesse  demonstrado por estas duas escolas e os seus alunos!

Para onde será que irão voar da próxima vez estas aves?? 

Pode consultar a nossa Oferta Educativa AQUI 


SPEA comemora Dia da árvore no Corvo

No Corvo, o Dia Mundial da Árvore é comemorado a 21 de março, normalmente coincidindo com o equinócio da primavera. Este ano, a SPEA contribuiu, em parceria com a Associação Corvo Vivo e o Parque Natural de Ilha, para a reflorestação da Coroa do Pico, área protegida para a gestão dos habitats ou espécies nativas com a colaboração da população local. 

No total foram plantadas 107 plantas de pau-branco (Picconia azorica), folhado (Viburnum treleasei), cedro (Juniperus brevifolia), louro (Laurus azorica) e faia-da-terra (Myrica faya).


Foto: Bárbara Ambrós

No dia 22, a escola comemorou este dia através dos alunos do clube de ambiente que criaram um canteiro de vidália (Azorina vidalii) e urze (Erica azorica) na Escola Básica e Secundária Mouzinho da Silveira.

Este dia relembra a importância da consciencialização da população para o valor destas espécies e os benefícios destas para o aumento da qualidade de vida, aliada à preservação do património natural.


quinta-feira, 11 de março de 2021

Já foram avistados os primeiros priolos de 2021

Com a chegada de um tempo mais ameno, chegam também as primeiras florações em algumas espécies da floresta Laurissilva. O Priolo ( Pyrrhula murina) sabe bem disso e já se começa a observar indivíduos em áreas mais acessíveis à procura de alimento. 

Na semana passada vários priolos foram avistados nas nossas áreas de intervenção para a recuperação da vegetação nativa e endémica na Serra da Tronqueira, mas também no Jardim de Endémicas da Cancela do Cinzeiro, nas proximidades do Centro Ambiental do Priolo. Vários Priolos foram observados a alimentar-se de botões florais de Azevinho ( Ilex azorica). 


Vídeo de Pablo Varona


Com estes avistamentos inauguramos o nosso Mapa de observações de Priolo de 2021, onde registamos os indivíduos avistados fora do censo oficial, pelos nossos visitantes, observadores de aves ou população local.


E você? Quer partilhar connosco as suas observações de Priolos? Envie-nos a sua observação por email para centropriolo@spea.pt ou preencha o nosso formulário com os seus dados. Também estamos no e-Bird, pode partilhar a sua lista com o nosso perfil  SPEA Açores.

Não perca a oportunidade de observar os primeiros Priolos de 2021! A sua contribuição é muito importante para que possamos ter um registo do comportamento, alimentação e das áreas de presença desta espécie endémica: o tesouro de São Miguel. 

O Priolo agradece!

Fomos limpar a praia da Ilha do Corvo!

A SPEA organizou uma atividade de limpeza atlântica no âmbito do projeto OceanLit no passado sábado dia 27 de fevereiro. 

Compareceram 13 voluntários para limpar a praia da Ilha do Corvo e recolheram 24kg de resíduos numa hora.


Esta atividade teve como propósito sensibilizar a população sobre a problemática dos resíduos nos oceanos.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Para que nenhuma embalagem de bebida seja abandonada, campanha "Há mar e Mar"

Hoje falamos do Lixo Marinho e do Sistema de Depósito com Retorno. 

O que são sistemas de depósito com retorno (SDR)?

SDR são sistemas onde existe um pagamento de um depósito ou tara aquando da compra de um dado produto. Esse valor é depois devolvido mediante a entrega da embalagem ou recipiente onde o produto estava acondicionado até à sua utilização.

Portugal é o primeiro país sul-europeu a adotar uma legislação (n.º69/2018) que prevê a implementação de um sistema de depósito para as garrafas e embalagens ♻️ , esta lei terá efeito obrigatório a partir de Janeiro de 2022. Mas mesmo com esta legislação Portugal tem recorrentemente sentido dificuldade em cumprir as metas comunitárias de reciclagem, seja nos diferentes fluxos de resíduos (entre eles as embalagens de vidro), seja em relação ao total de resíduos urbanos.

Desde a ONG Sciaena, parceira da SPEA,  lançaram a campanha “Há mar e mar, há usar e recuperar” juntamente com a petição pública “Pela Saúde dos nossos Oceanos, Exija Tara Recuperável!”, com o objetivo de implementar um sistema de depósito e retorno de embalagens o mais rapidamente possível. 

Trata-se de uma campanha colaborativa, envolvendo 40 organizações, com o objetivo de conseguir que os nossos oceanos sejam saudáveis. 


Os oceanos estão a sofrer uma crise sem precedentes devido à mudança climática, sobrepesca, poluição e destruição dos habitats marinhos, assim como das espécies marinhas.  Assine a petição para a implementação de um sistema de tara recuperável para todos os tipos de embalagens e que não acabem no mar.

@Sciaena

Fique a conhecer mais sobre esta campanha no site da Sciaena  e no Facebook da campanha. 

Esteja atento às nossas próximas notícias para conhecer mais informação sobre o lixo marinho e como este afeta as espécies marinhas, nomeadamente as aves marinhas.

Dissertação de mestrado avalia a presença de Passeriformes em áreas de floresta Laurissilva recuperada

No âmbito de uma dissertação de mestrado da Faculdade de Ciências de Lisboa, a SPEA está a realizar monitorização de Passeriformes em áreas em que foram realizadas intervenções para restauro ecológico e em áreas adjacentes na qual a vegetação é predominantemente exótica. 


O objetivo deste estudo é avaliar o uso das aves comuns nas áreas de floresta Laurissilva recuperada e testar a hipótese de que estas áreas são preferidas em relação às áreas dominadas por espécies exóticas. Os trabalhos de campo, que serão realizados no inverno e na primavera, consistem na contagem de Passeriformes em 20 pontos em áreas de Laurissilva recuperada e em 20 pontos em áreas de vegetação exótica. 


Em cada ponto é realizada a caracterização da vegetação de forma a relacionar a abundância das aves com a vegetação. Para além das contagens de aves e a caracterização da vegetação, o estudo também avalia aspetos comportamentais como a defesa do território pelas aves e a alimentação. 

Os dados obtidos poderão ser utilizados como indicadores para avaliar os resultados das ações dos projetos de conservação terrestre dos Açores.