quinta-feira, 11 de agosto de 2022

Inventário de lepidópteros noturnos na Graciosa

As nossas colegas da SPEA Açores, Alba e Yasmin, estiveram recentemente a fazer trabalho de campo na maravilhosa ilha branca, a ilha da Graciosa.

Foto: Yasmin Redolosis

Foto: Pedro Raposo

Os trabalhos foram realizados de 18 de Julho a 5 de Agosto e tiveram o apoio do Serviço de Ambiente e Alterações Climáticas da Graciosa e da Câmara Municipal de Santa Cruz de Graciosa.

Foto: Yasmin Redolosis

Em que consistiu este trabalho? Foram feitos um total de 14 pontos de amostragem para realizar um inventário das comunidades de insetos noturnos da rede Natura 2000 nesta ilha, como parte do projeto LIFE Natura@night.

Foto: Alba Villarroya

Em todas as noites em que foram feitas as amostragens, das 21:00 às 13:00 e de preferência durante o período de lua nova, foram usadas duas metodologias recomendadas pelo Prof. Virgilio Vieira, especialista em lepidópteros (principal ordem de insetos estudados neste projeto), nomeadamente a utilização de uma armadilha luminosa (FOTO_1) e o winerope para atrair espécies endémicas. (FOTO_2).



Fotos: Yasmin Redolosis

Atualmente, no laboratório de Santo António de Nordestinho, estamos a fazer triagem e a identificar as espécies a partir das amostras e a preparar a montagem de alguns indivíduos em coleções entomológicas.

O projecto LIFE Natura@night visa reduzir a poluição luminosa nas áreas protegidas dos arquipélagos da Macaronésia. Ao trabalhar com as autoridades locais, os pescadores e a comunidade para reduzir a poluição luminosa, estaremos também a implementar uma iluminação mais eficiente, contribuindo para uma melhor gestão de recursos e combate às alterações climáticas.

Se quiser saber mais sobre este projecto: https://naturaatnight.spea.pt/

                                                              "Por uma noite com mais vida".

Foto: Alba Villarroya


SPEA Açores dá as boas vindas a Yasmin Redolosis

Yasmin Redolosis Pearce, a estagiar na SPEA Açores desde outubro 2020, é licenciada em biologia pela Universidade de Málaga e tem um Mestrado em Diversidade Biológica e do Meio Ambiente. 

A Yasmin juntou-se à SPEA Açores como estagiária do projeto "LIFE IP Açores Natura", participando em diversos trabalhos para a conservação da Floresta Laurissilva, tais como a recolha e produção de plantas nativas, manutenção e monitorização das plantas no viveiro e monitorização da vegetação no campo e testes de viabilidade e germinação de sementes no laboratório, entre outros.


Colaborou também noutros projetos dentro da SPEA Açores, tais como a campanha SOS Cagarro, trabalhos do estudo de interação entre as aves e as linhas elétricas de média tensão nas ilhas de São Miguel e Terceira,  apoiou a criação do Herbário Comunitário e participou em vários censos que são realizados ao longo do ano, como por exemplo o projeto ARENARIA, RAM, Censo de milhafres e Censo de aves comuns (CAC).

Desde Julho de 2022 que Yasmin passou a fazer parte da equipa do projeto LIFE Natura@night onde assume as funções de Técnica de Conservação. Neste projeto pretende-se estudadar os impactos da poluição luminosa na biodiversidade. Este é um projeto inovador que visa reduzir a poluição luminosa que afeta as áreas protegidas dos arquipélagos da Madeira, Açores e Canárias, e mitigar os seus impactos nas espécies protegidas a nível da UE.

A SPEA Açores dá as boas vindas à Yasmin e espera que o trabalho e funções que ela assume neste novo projeto lhe tragam muita satisfação pessoal e profissional.

CAGARROS EM DESTAQUE NO FESTIVAL WALK&TALK

 Na passada semana, a SPEA foi convidada pela artista Ellie Ga a participar na sua performance “Cagarros Assembly”, integrada no Festival de Artes dos Açores Walk&Talk. Durante as suas sessões artísticas, Ellie convidou o público a acompanhá-la até à Rocha da Relva, após o pôr-do-sol, para assistir à chegada dos cagarros aos ninhos e escutar o espetáculo sonoro das suas vocalizações – “a banda sonora dos Açores”, como nos descreve a artista. Enquanto fechamos os olhos para escutar, Ellie vai-nos contando a história de vida dos cagarros, as extraordinárias viagens que embarcam, e as dificuldades que enfrentam, focando-se no problema da poluição luminosa.


Contando com a presença da SPEA e da ACAPO – Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal, a artista vai colocando ao longo da sessão questões científicas sobre a espécie, mas também sobre a perceção daqueles que não conseguem ver num mundo extremamente visual, num paralelismo com os desafios que os cagarros juvenis enfrentam. Em Outubro/Novembro, os cagarros juvenis abandonam os ninhos e devido à sua inexperiência e sensibilidade à luz, ficam encadeados com o excesso de luz artificial das ruas e dos edifícios, desorientando-se e acabando por cair em terra, vulneráveis à predação ou atropelamentos.

Integrado neste projeto, a artista apresentou ainda um pequeno filme, retratando a sua experiência pessoal na Campanha SOS Cagarro em diferentes ilhas, incluindo parte do trabalho da SPEA com voluntários em Vila Franca do Campo, durante o resgate dos cagarros juvenis desorientados em terra, para que estes possam ser recuperados e libertados para regressarem ao mar em segurança.

Se tem interesse em participar connosco na próxima Campanha SOS Cagarro em Vila Franca do Campo, contacte-nos!

Desligue uma luz, salve uma ave marinha!

sexta-feira, 22 de julho de 2022

Projeto Natour visita projetos de conservação da SPEA

Parceiros do projeto Natour, que têm como objectivo desenvolver o currículo de um curso internacional de pós graduação para guias de Ecoturismo. O grupo formado por docentes de universidades de Espanha, Brasil, Alemanha, Bulgária, Colômbia e Chile visitou os Açores nesta semana.

No dia 19 de julho, o local escolhido para a visita foi o Ilhéu de Vila Franca do Campo onde se deu a conhecer o trabalho desenvolvido no projeto Ilhas Santuário para Aves Marinhas ,e no post-LIFE, as dificuldades do restauro ecológico dos habitats naturais nos Açores. Conheceram também os cagarros e o trabalho de monitorização do seu sucesso reprodutor que a SPEA continua a realizar neste ilhéu.


Foi possível analisar também o potencial ecoturístico desta área natural, dos Açores em geral e das Terras do Priolo, em particular. Tendo se referido o processo de adesão das Terras do Priolo à Carta Europeia de Turismo Sustentável e a criação da Marca Priolo como exemplo de iniciativas desenvolvidas no território para promover o ecoturismo.

No dia 22 de julho, o grupo visitou o Centro Ambiental do Priolo e o parque de endémicas da R.F.R da Cancela do Cinzeiro nas Terras do Priolo para conhecer melhor as ações desenvolvidas para a conservação de esta ave endémica da ilha de São Miguel e as potencialidades das Terras do Priolo para o desenvolvimento de atividades ecoturísticas.

quinta-feira, 14 de julho de 2022

SPEA realizou quarta edição do Atlas do Priolo

Entre os dias 27 de junho a 1 de julho, a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) realizou o IV Atlas do Priolo nos concelhos do Nordeste e Povoação, mais propriamente na Zona de  Proteção Especial Pico da Vara/Ribeira do Guilherme e área envolvente. Este projeto de ciência cidadã ocorre a cada quatro anos e estava programado para o ano de 2020, mas foi adiado nos últimos dois anos devido à crise pandémica.

O Atlas do Priolo é um projeto pioneiro que foi realizado pela primeira vez em 2008, sendo essencial para acompanhar a evolução da população de priolos, obtendo informação fundamental sobre a população desta espécie para a planificação das medidas necessárias para a sua conservação. A sua realização envolveu a participação de 50 voluntários, provenientes da Região Autónoma dos Açores (14), Portugal continental (21) e de Espanha (15).

Nos dias anteriores ao censo, os voluntários participaram em formações teóricas e práticas sobre o Priolo e avifauna da Região, flora e habitats, para além da metodologias do censo, de forma a permitir a participação de todos os interessados independentemente de sua experiência na observação de aves. O único pré-requisito para a participação no IV Atlas do Priolo é o gosto pelas atividades na natureza e a satisfação em poder participar na conservação desta espécie em perigo.


Com a ajuda deste voluntários obteve-se registos em toda a área de distribuição desta espécie em apenas uma manhã de forma a conseguir uma "fotografia" da população mundial de priolos, visto que esta espécie em todo o Mundo só existe nesta área. Os dados serão analisados para atualizar o tamanho populacional desta espécie e o tamanho de sua área de distribuição.

O nosso muito obrigada a todos os que participaram neste edição do Atlas!




Técnicos da SPEA em formação sobre lepidópteros noturnos

Esta semana alguns dos nossos técnicos da SPEA Açores, juntamente com duas colegas da SPEA Madeira, tiveram a oportunidade de frequentar uma formação teórico-prática com o Prof. Virgílio Vieira, especialista nesta ordem de insetos. A formação enquadra-se nas ações do projeto LIFE Natura@night que tem como objetivo reduzir o impacto da poluição luminosa na biodiversidade da Macaronésia.

A formação decorreu de segunda-feira, dia 11, a quarta-feira, dia 13 de julho na ilha de São Miguel. No primeiro, dia viram as coleções naturalistas do Museu Carlos Machado e a sua importância para a investigação.

 

Essa mesma noite puseram em prática a captura de insetos com armadilhas luminosas.




No segundo dia, a formação foi baseado na parte teórica, onde o Professor Virgílio Vieira explicou mais especificamente a biologia das borboletas noturnas, e os nossos técnicos puderam definir a metodologia a seguir no trabalho de campo no âmbito do projeto Natura@Night "Por uma noite com mais vida".


Já na quarta-feira, último dia da formação, antes de fazer formação prática no laboratório sobre a montagem de lepidópteros para a realização de uma coleção entomológica, foi realizada uma visita aos viveiros da SPEA Açores e explicámos algumas das ações realizadas no projeto LIFE IP AZORES NATURA.




Como toque final, foram visitar o Centro Ambiental do Priolo para saber mais sobre as formas de conservação desta ave endémica de São Miguel.

SPEA inicia obras de requalificação do trilho do Pico da Vara

A SPEA, em parceria com a DRRF, iniciou no passado dia 7 de julho os trabalhos de requalificação do trilho Sto. António Nordestinho – Pico da Vara (PRC07 SMI), com uma duração prevista dos trabalhos de 3 semanas.


Estes trabalhos estão enquadrados na Ação “Minimizaçao do Impacto do Turismo no Trilho ao Pico da Vara” do projeto LIFE IP Azores Natura, em parceria com o projeto Interreg VALCONMAC2. Com este objetivo e com vista a uma melhoria da visitação e diminuição do impacto desta área protegida, durante os próximos dois anos vão ser igualmente realizados trabalhos no trilho Graminhais-Pico da Vara com vista à sua reabertura.


Durante a duração dos trabalhos, o trilho Sto. António Nordestinho – Pico da Vara manter-se-á aberto, mas com acesso condicionado, pelo que se pede a todos os visitantes a devida atenção às indicações dadas no local e à existência de máquinas em manobra.