Conferência



A Conferência LIFE+ Terras do Priolo decorreu nos dias 29 e 30 de abril na Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada. Apresentamos a continuação algumas conclusões recolhidas na conferência para cada um dos painéis e as apresentações realizadas pelos participantes no evento. 

Veja o evento no Facebook
Veja o Livro de Resumos
Veja algumas fotografias do evento e da visita de campo

CONCLUSÕES DA CONFERÊNCIA

Painel "Conservação de Flora e Fauna Ameaçada"

Este painel teve como intuito dar a conhecer projetos que focam na conservação de espécies tanto de flora como de fauna em perigo de extinção. Para além do Priolo, contará com os exemplos do Pinzón Azul de Gran Canaria (ou Pinzúl), do Fura-bardos, da Paloma Rabiche, do Tuit-tuit da Reunião e das aves marinhas da macaronésia, mas também de espécies vegetais como a Vidália e o Lotus azorica. Este painel permitiu concluir que apesar de que cada espécie tem características diferentes as ameaças são em muitos casos comuns e que o bom conhecimento científico das espécies é sempre a base essencial para o desenvolvimento de estratégias de conservação exitosas e que este conhecimento deve estar sempre atualizado.
Painel “Desafios na comunicação da Rede Natura 2000”

Este painel incluiu exemplos de estratégias de comunicação da biodiversidade e das suas ameaças que incluem iniciativas inovadoras como o Citizen Science e as novas tecnologias para aproximar a natureza da população e promover a sua sensibilização para a conservação. O painel contou com o exemplo do Centro Ambiental do Priolo com mais de 10 anos de experiencia na implementação de um programa de Educação Ambiental sobre a biodiversidade açoriana, o ExpoLab centro de ciência viva que promove também muitas atividades relacionadas com a descoberta e conhecimento da biodiversidade dos Açores e a plataforma INVASORAS.PT que pretende alertar e envolver o público geral na identificação e mitigação da ameaça que supõem as espécies exóticas invasoras. Como conclusão de este painel podemos destacar a importância do envolvimento dos participantes em ações específicas para na aprendizagem e na sensibilização das mesmas sobre a conservação da biodiversidade e portanto da Rede Natura 2000.

Painel “Impacto socioeconómico da Rede Natura 2000”

Este painel abordou a questão da compatibilidade entre a conservação da biodiversidade e o bem-estar humano que muitas vezes é considerado como incompatível. Foram apresentados exemplos regionais e nacionais de estratégias para compatibilizar estas duas vertentes promovendo assim um desenvolvimento sustentável, com destaque para as iniciativas relacionadas com o turismo. Como conclusão de este painel podemos destacar que a realização e disseminação para diferentes públicos de estes estudos de impacto socioeconómico será uma ferramenta essencial para desmistificar a ideia de que a conservação da natureza não traz mais-valias para o bem-estar das populações. Também podemos concluir é possível identificar boas práticas a serem implementadas neste tipo de projetos para incrementar o seu impacto positivo na sociedade e que o envolvimento dos agentes económicos na tomada de decisões, por exemplo através da Carta Europeia de Turismo Sustentável pode contribuir para a definição de estratégias de sustentabilidade coordenadas pelos diferentes agentes do território.

Painel “Controlo de mamíferos invasores”

Este painel teve como objetivo discutir um problema comum a praticamente todas as ilhas do planeta a presença de mamíferos introduzidos que põem em causa a sobrevivência das espécies nativas. Contamos com exemplos do arquipélago Ponziane na Italia e a sua luta contra o rato preto e do trabalho no arquipélago das Berlengas para controlar tanto mamíferos como plantas invasoras com impactos muito positivos nas aves marinhas. Como conclusão a esta painel, podemos destacar que a problemática dos mamíferos introduzidos em ilhas é praticamente universal e de solução muito difícil especialmente em ilhas habitadas, porém já existem técnicas e cada vez mais esta a demonstrar-se que é possível recuperar ilhas livres de predadores introduzidos.

Painel “Restauração de habitats insulares”

Este painel teve como objetivo discutir técnicas para o restauro ativo de habitats degradados em ilhas e não só. Para além das ações de restauro da Laurissilva dos Açores desenvolvidas na ZPE Pico da Vara/ Ribeira do Guilherme contou com apresentações de outros projetos que pretendem recuperar habitats similares como é o caso do LIFE-Relict, LIFE IP Azores Natura e o LIFE Garajonay Vive; apresentará técnicas inovadoras como a deteção remota que podem apoiar estas ações e estratégias.

Sem comentários:

Enviar um comentário